Blog

Gestão é a nossa causa.

ESG: conheça a sigla e sua importância para o mundo dos negócios

ESG é uma sigla que vem ganhando cada vez mais espaço nas discussões. Dessa forma, os quesitos de sustentabilidade ambiental, social e de governança já são pauta de ações e encaminhamentos para iniciativas globais.

Por isso vamos explorar um pouco mais sobre o que é ESG, quais os fatores que essa prática leva em consideração e como olhar para isso dentro da sua empresa neste artigo.

ESG: o que é?

A sigla ESG significa Environmental, Social, Governance. No Brasil, a sigla pode aparecer como ASG, que significa Ambiental, Social e Governança. Geralmente, utiliza-se a sigla para medir as práticas ambientais, sociais e de governança de uma empresa. 

No mercado financeiro, o ESG também pode ser um critério para realização de investimentos. Portanto, ao invés de se olhar apenas indicadores e critérios financeiros, fatores ambientais, sociais e de governança também são levados em consideração.

Qual é o significado da sigla ESG?

A sigla ESG é desdobrada em três pilares fundamentais: Ambiental, Social e Governança. E cada um deles é desdobrado em diversos fatores que podem ser desenvolvidos ou estimulados dentro das empresas.

Assim, a companhia mostra ao mercado que há preocupação em investir em cada um destes fatores e se tornar uma operação sustentável nos âmbitos ambiental, social e de governança.

Dessa maneira, cada letra tem uma definição específica:

E – Environmental (ou Ambiental, em português)

A letra E se refere ao envolvimento da empresa com práticas do meio ambiente. Entre esses fatores considera-se:

  • Uso de recursos naturais; 
  • Emissões de gases de efeito estufa (CO2, gás metano); 
  • Eficiência energética;
  • Poluição;
  • Gestão de resíduos e efluentes;
  • Entre outros fatores.

S – Social

A letra S, por sua vez, vai levar em consideração os fatores sociais, ligados às pessoas e à comunidade que se relaciona com a empresa. Para esse pilar aparecem, entre outros aspectos, os seguintes:

  • Políticas e relações de trabalho;
  • Inclusão e diversidade;
  • Engajamento dos funcionários;
  • Treinamento da força de trabalho;
  • Direitos humanos;
  • Relações com comunidades;
  • Privacidade e proteção de dados.

G – Governance

Por fim, a letra G se refere à governança da empresa, e como ela se prepara para os seus próximos ciclos:

  • Independência do conselho;
  • Política de remuneração da alta administração;
  • Diversidade na composição do conselho de administração;
  • Estrutura dos comitês de auditoria e fiscal;
  • Ética e transparência.

Para que serve ESG?

As práticas ESG estão cada vez mais difundidas no mercado e nas empresas. Isso quer dizer, também, que consumidores e investidores estão atentos às práticas adotadas dentro das empresas. 

Assim, as práticas ESG se tornam um fator cada vez mais relevante e estratégico para que as empresas, além de causar um impacto mais positivo na sociedade, aumentem o seu valor de mercado e sejam mais atrativas para clientes e investidores.

O que são fundos ESG?

Entendendo que ESG é cada vez mais um critério utilizado por investidores para aportarem capital, existem algumas opções para realizar estes investimentos. Uma delas é através de fundos ESG.

Os fundos ESG são, basicamente, fundos que destinam os recursos dos seus cotistas a empresas sustentáveis e que seguem práticas com base nos critérios mencionados anteriormente. Esse critério é levado em conta porque os gestores do fundo e da empresa entendem que as práticas ESG adotadas aumentam o valor da companhia, que estão, também, ligadas à valorização das suas cotas.

Empresas ESG brasileiras para inspirar

No Brasil, as práticas ESG também já são aplicadas em diversas empresas. Nesse sentido, o ranking “Best For The World”, publicado pela B Lab, listou 750 empresas que oferecem impactos positivos para a sociedade e para o meio ambiente, além do resultado financeiro. Destas empresas, 39 delas são brasileiras, com destaque para a gigante de cosméticos Natura, e também para a YouGreen.

Inclusive, a Natura já foi muito premiada e reconhecida pelas iniciativas “Amazônia Viva“, “Mais beleza, menos lixo”, e “Cada pessoa Importa“. Desde 2010 a companhia já investiu mais de 400 milhões de dólares em diversas iniciativas.

A YouGreen, por sua vez, é uma cooperativa de catadores de resíduos que pontuou alto nas práticas tanto para funcionários quanto para o meio ambiente.

Como se tornar uma empresa ESG?

Para se tornar uma empresa ESG é necessário que a empresa entenda os critérios necessários para isso. Portanto, depois desse entendimento, é importante que a organização entenda os impactos positivos e negativos das suas operações, saiba agir em cima desses pontos, e trabalhe para minimizar ou eliminar impactos negativos e valorizar os positivos.

Os principais passos para implantar ESG em uma empresa são os seguintes:

1- Entender os objetivos do desenvolvimento sustentável (ODS)

Os objetivos do desenvolvimento sustentável da ONU são um conjunto de metas que têm o objetivo de tornar o mundo um lugar mais sustentável e fazem parte da Agenda 2030. Esta é uma lista de 17 itens que as empresas se comprometem a direcionar esforços, ações e recursos para melhorar os seus indicadores.

Assim, a partir do conhecimento destes pontos, as empresas conseguem ter uma noção de qual o impacto que a sua operação possui em cada um desses atributos.

2- Estabelecer as prioridades

Como bons gestores, sabemos que não se pode abraçar todos os problemas ao mesmo tempo. Por isso, a empresa deve estabelecer quais os desafios que deseja enfrentar e assim listar quais serão as prioridades para o desenvolvimento dos projetos dentro da empresa.

3- Faça um planejamento

Depois de estabelecidas as prioridades, é importante planejar, com metas, indicadores e ações que serão adotadas para atingir os resultados propostos.

4- Controle os resultados

Faça um controle dos resultados que estão sendo obtidos com as suas ações e mostre os resultados conquistados, compartilhando com a equipe e com o mercado. Essa é uma prática que, além de mostrar a transparência das suas iniciativas, serve como motivador para que a equipe continue buscando os objetivos.

Não há dúvidas de que empresas ESG vieram para ficar. Isso porque as práticas sustentáveis estão cada vez mais em voga nos debates políticos e empresariais. Dessa maneira, a tendência futura é de que o mercado dê cada vez mais atenção a estes quesitos na hora de investir e consumir os produtos das empresas.

Você conhece todas as vantagens do partnership? Confira clicando aqui!