Blog

Gestão é a nossa causa.

Valores de uma empresa: definição da conduta ética do seu negócio

Assim como os indivíduos, as organizações também são regidas por um conjunto de valores, que são regras inegociáveis e pressupostos culturais que permeiam todas as suas relações.

Os valores de uma empresa fazem parte dos norteadores estratégicos – que, em geral, servem como uma bússola. Eles apontam para onde a empresa quer se dirigir, como ela pretende fazer isso e do que não abre mão durante esse percurso.

Com a leitura deste texto,  você pode conferir um pouco mais sobre o que são os valores de uma empresa, qual a sua importância, como os definir e como difundi-los entre os diferentes stakeholders do seu modelo de negócio.  

O que são valores de uma empresa?

Os valores de uma empresa fazem parte dos norteadores estratégicos e são um dos principais pilares que regem as relações que o negócio tem com seus principais stakeholders (clientes, fornecedores, sociedade, colaboradores, etc)

No que tange aos colaboradores, os valores perpassam os principais processos de gestão de pessoas das organizações – mesmo que inconscientemente! Nota-se isso, por exemplo, pela forma como a empresa recruta e seleciona colaboradores, como os promove e os reconhece e, inclusive, como conduz o processo de desligamento quando necessário. 

Na prática, os valores de uma empresa são as regras do jogo: os comportamentos éticos esperados, encorajados e inegociáveis para a empresa. Junto do propósito, missão e visão, compõem o DNA do empreendimento – são o que tornam as organizações diferenciadas e únicas. 

Nesse sentido, o componente dos norteadores estratégicos funciona, muitas vezes, como uma bússola. Por exemplo, em uma situação de contingência, os valores podem dar o direcionamento que a equipe precisa para tomar uma decisão rápida e fiel ao que é importante para a organização. 

Qual a importância de ter os valores de uma empresa bem definidos?

A clareza acerca dos valores organizacionais e dos demais norteadores estratégicos é essencial por diversos fatores. Entre eles, tornar a tomada de decisão no dia-a-dia e a nível estratégico mais eficiente. Além disso, os norteadores são a base para a estratégia, gestão e cultura. 

No que tange à estratégia, os valores servem como um guia que suporta a missão (o que a empresa faz, para quem faz e como faz) e baliza o caminho para atingimento da visão (onde a empresa quer chegar). 

Em termos de gestão, os valores tornam possível a tomada de decisão a nível gerencial durante a rotina, geram engajamento entre os diferentes colaboradores da organização e facilitam processos das mais diversas áreas. Por fim, pode-se citar os valores como a base da cultura organizacional – que é a grande identidade da empresa em questão. 

Leia também nosso artigo sobre Gestão de Pessoas

Como definir os valores de uma empresa?

A definição dos valores deve acontecer por meio de um exercício proativo de reflexão. Por isso, ela não pode ser uma decisão superficial apenas para cumprir processo, bem como deve refletir a essência da organização. 

Dessa maneira, um erro comum cometido por muitas empresas é a escolha de valores apenas por estarem em voga. Em outras palavras, valores que sejam lugares-comuns. Nesse sentido, é relevante ressaltar o fato de que, se os valores (assim como os demais norteadores) não refletirem a essência real da organização, eles serão apenas frases no papel ou na parede. 

Portanto, o exercício de reflexão deve ser transparente e sincero. A empresa deve se desprender daquilo que idealiza sobre si mesma para encarar a realidade e entender a sua real cultura. Além disso, vale destacar que não existe receita infalível para a definição dos valores organizacionais, mas existe uma sequência de passos que pode facilitar o seu processo de desenvolvimento. São eles: 

1. Definição dos participantes: 

O processo de reflexão acerca dos valores não deve ser algo centralizado, que reflita apenas a visão de uma pessoa tomadora de decisão. Por isso, recomendamos que você tente tornar esse processo o mais compartilhado possível – envolvendo pessoas de diferentes áreas e níveis de senioridade, por exemplo. 

2. Definição formato de condução:

Depois de definir participantes, é interessante que você pense sobre o formato de condução do momento (para não correr o risco de o objetivo se perder ao longo do processo). A definição de algumas perguntas-chave, nesse caso, pode ser uma boa alternativa. Por exemplo: quais são as regras inegociáveis dentro da nossa organização? O que valorizamos nas nossas relações internas e com o mercado? O que gostaríamos que a equipe levasse em consideração na hora de tomar uma decisão difícil?; 

3. Sintetização das informações coletadas: 

Após o levantamento de todas as informações, é interessante que se tenha um responsável pela sintetização de todos os dados obtidos. Sendo assim, essa pessoa pode ser responsável por condensar informações semelhantes em grupos afins, de forma a facilitar a definição posterior dos valores. 

4. Criação dos valores: 

Depois de sintetizados, é importante que você escolha os valores que mais fazem sentido para a cultura e estratégia da organização. Aqui, é importante que não se tenha muitos valores, pois pode gerar confusão e dificuldade de difusão na rotina do dia-a-dia. 

Os valores de uma empresa, assim como os outros norteadores, devem ser fáceis e naturais ao negócio. Por isso, recomenda-se que a empresa tenha entre 4 e 6 valores, no máximo. 

5. Defesa e desdobramento: 

Uma vez que é de extrema importância que os valores estejam claros no dia-a-dia, uma prática que pode ser interessante é o desenvolvimento de textos de apoio. Dessa forma, eles ajudam a tornar os valores ainda mais tangíveis para qualquer pessoa (seja um cliente, fornecedores, sócio-fundador ou novo colaborador). 

6. Gestão: 

Após definidos, os valores não podem entrar em esquecimento, ou seja, sua gestão e acompanhamento é tão importante quanto a definição. Nesse sentido, uma boa alternativa para mantê-los presentes é a definição de processos de acompanhamento e revisão dos valores. 

Além disso, é importante lembrar que o desenho dos valores organizacionais não é um processo fácil – e nem deve ser! Afinal, eles representam o que há de mais essencial dentro da identidade da organização e devem ser fiéis ao que acontece na prática.

Em suma, a cultura é um organismo vivo, que não respeita o que está na parede e no papel se o que foi desenhado não for fiel ao que acontece nas relações diárias. 

Como apresentar os valores de uma empresa?

A apresentação e compartilhamento dos valores se torna mais fácil quando a equipe participa do processo de criação e consegue identificar na prática a existência dessas características inegociáveis na organização. Ainda assim, existem alguns pontos que podem ajudar no processo de apresentação: 

  • Impacto da liderança: um ponto essencial para que os valores definidos sejam perpetuados dentro da organização é que, principalmente a equipe, perceba as lideranças da organização agindo em concordância àquilo que foi definido; 
  • Impacto da equipe: manter a equipe alinhada com os valores impacta diretamente na imagem que o mercado terá sobre a cultura organizacional do seu negócio. Sendo assim, muitas vezes serão as interações dos seus colaboradores que impactarão na forma como seus clientes veem sua empresa do que aquilo que é comunicado oficialmente; 
  • Gestão de pessoas: por fim, os valores devem ser comunicados explicita e implicitamente em todos os processos de gestão de pessoas. Por exemplo, você deve utilizá-los na hora de recrutar/selecionar a sua equipe, bem como quando for promover/reconhecer/desligar algum colaborador. Por isso. os valores devem ser a base da tomada de decisão, principalmente nas ações de gestão de pessoas. 

Exemplos de valores de empresas

Por fim, criar repertório sobre as possibilidades é sempre uma alternativa que pode facilitar o processo interno de definição dos norteadores da sua empresa. Abaixo, você pode conferir alguns exemplos de mercado: 

  • 4CINCO: Obstinação por Resultados, Disciplina, Transparência e Bom Humor; 
  • Avon: Confiança, Respeito, Crença, Humildade e Integridade; 
  • Natura: Humanismo, Criatividade, Equilíbrio e Transparência. 

Dessa maneira, as referências ajudam a abrir possibilidades, mas os valores são únicos! Como mencionado acima, empresas diferentes podem ter o mesmo valor, mas, uma vez que cada negócio tem sua identidade, eles podem ser defendidos e difundidos de formas diferentes e que façam mais sentido para cada negócio. 

Gostou do assunto? Então confira, também, nosso conteúdo exclusivo sobre missão de uma empresa!

Leave a Reply