Blog

Gestão é a nossa causa.

Missão de uma empresa: saiba o que é e veja exemplos de sucesso

A missão de uma empresa não é aquele conteúdo que parecia banal que você eventualmente ouviu falar na faculdade. A missão de uma empresa é um compromisso, um instrumento poderoso de planejamento e desdobramento estratégico, além de ser um norteador para a cultura organizacional

Por isso, neste artigo, trazemos para você nosso entendimento sobre a missão empresarial e sobre sua importância. Ainda, listamos algumas dicas para definir uma boa missão e discutimos alguns exemplos de missões famosas.

O que é a missão de uma empresa?

A missão de uma empresa é a sua razão de ser, o motivo para o qual a empresa existe e trabalha diariamente. Também, é o destino comum de seus colaboradores. Nesse sentido, é importante destacar que a missão comunica o propósito fundamental da empresa aos seus stakeholders, constituindo “a motivação subjacente para se atuar no negócio”, conforme os autores David Collins e Michael Rukstad (COLLINS e RUKSTAD, 2008, p. 85).

Sendo assim, ela deverá responder a três questões fundamentais: o que a empresa faz, como ela faz e para quem ela faz. De forma ainda mais simples, responde objetiva e genuinamente, a pergunta “para que meu negócio está no mercado?”. 

Portanto, a missão define um negócio por delimitá-lo em aspectos tangíveis e objetivos diretamente relacionados ao seu core business, ao mesmo tempo que também dá contornos a uma dimensão simbólica da empresa, sustentando sua identidade e a construção de sua cultura. E justamente por ser tratada como a identidade de uma empresa, a missão não deve ser alterada com frequência, pois isso indica que a empresa está mudando a si mesma.

Por que a missão de uma empresa é importante?

O filósofo irlandês Charles Handy compara a missão da empresa a um núcleo, algo que não pode ser modificado. Portanto, ainda que as empresas estejam buscando cada vez mais agilidade e flexibilidade no desenvolvimento de seu trabalho para uma maior adaptação à dinâmica do mercado, seu núcleo deverá manter-se. Em suma, premissa para estar e atuar neste mercado não mudará. 

A este ponto, podemos entender que a missão, primeira parte que compõe a tríade dos norteadores estratégicos de uma organização, não é apenas um cartaz colado e esquecido nas paredes das salas dos escritórios. Ou, então, algo a ser referenciado na parte de trás dos crachás de seus colaboradores para cumprir os requisitos de uma certificação. Dessa forma, ela é um norteador efetivo do planejamento estratégico, do trabalho e das decisões diárias de todos os envolvidos. 

Por revelar o norte da organização, a missão é uma forma de engajar a equipe internamente, além de ser responsável por uma melhor relação com seus clientes. Dessa maneira, sua declaração permite que a empresa mantenha uma coerência com suas premissas de criação e que possa se alinhar aos objetivos definidos a partir dela – porque todos partem deste mesmo lugar. Assim, é um grande delimitador e ajuda no desenvolvimento de foco para a execução!

Benefícios de ter uma missão bem definida

Antes de falarmos sobre os benefícios de ter uma missão bem definida, precisamos lembrar que existem duas vertentes de pensamento complementares sobre este assunto. A primeira delas entende a missão como estratégia de negócios, enquanto que a segunda a interpreta por um viés filosófico e ético. A partir disso e, principalmente, da complementaridade entre tais visões, podemos verificar benefícios de ambas as ordens e, inclusive, de suas conexões.

Do ponto de vista estratégico, a declaração de missão é disciplina, é base racional e comercial do negócio e ponto de partida do planejamento estratégico, que deverá ser desdobrado até os níveis tático e operacional. Já a interpretação filosófica vê a missão como um norteador cultural que direciona a organização para que ela funcione como uma unidade coletiva. Portanto, a missão traduz a linha mestra dos objetivos de atuação esperados pela empresa.

Assim, somente uma clara definição da missão tornará os objetivos da organização claros e realistas, conforme o autor Peter Drucker (DRUCKER, 1973). Portanto, entre as principais vantagens que obtemos com a declaração de missão, temos: 

  • Alinhamento de todos em uma única direção e compartilhamento de expectativas entre todos; 
  • Consolidação dos objetivos da empresa no tempo, que transcendem o individualismo ou determinados interesses específicos; 
  • Direcionamento em termos de estilos, atitudes e comportamentos para as lideranças;
  • Compartilhamento de intenções e objetivos que podem também ser identificados por pessoas externas à empresa;  
  • Melhoria do argumento de venda e consequente crescimento da empresa e seus lucros.

5 dicas para definir a missão de uma empresa

Relembramos aqui que, para definir a missão de uma empresa, devemos destacar o que a empresa faz, como ela faz e para quem ela faz: a missão delimita ao mesmo tempo que notabiliza a empresa. E, por delimitar, lembramos que é importante que a empresa também entenda o que ela não faz. Uma empresa não pode ser boa em tudo, e a missão justamente delimita esse espaço. 

Nesse sentido, ao escrever a frase da missão, normalmente utilizamos a seguinte composição: verbo que expõe o quê + como + para quem. O enunciado, portanto, deve ser fácil de ler e deve refletir a cultura da empresa. Em seguida, olharemos juntos alguns exemplos de missões empresariais e discutiremos tais elementos. Antes disso, contudo, aproveitamos para compartilhar algumas outras dicas que podem ajudá-lo na construção da missão de sua empresa:

  1. Durante o exercício de definir a missão da empresa, preocupe-se primeiro em encontrar os principais elementos dela e deixe para escrever a “frase bonita” depois. Os elementos são os pilares de sua missão e poderão, inclusive, ser mais bem detalhados nos materiais de apoio que acompanham sua declaração de missão;
  2. Para formular a missão de sua empresa, baseie-se em sua origem, nas raízes e premissas sobre as quais a empresa foi fundada;
  3. Reflita sobre o que distingue a sua empresa das outras, busque descrever seu produto ou serviço, sua forma de fazê-lo e seu mercado, refletindo também seus valores e as prioridades que norteiam sua tomada de decisão. Aqui, atente-se para os benefícios que a empresa pode trazer para seu público-alvo;
  4. Lembre-se que a missão traz foco para sua organização e comunica um propósito inspirador. Por isso, seja objetivo e criativo!;
  5. Quando olhamos para a missão, olhamos para o que devemos fazer todos os dias e cada vez melhor. Pense: “que lembrete diário queremos trazer para nossos colaboradores?”.

Qual é o papel da missão na cultura organizacional?

Falamos anteriormente sobre a visão ética e filosófica da missão no sentido de que ela tem o poder de trazer uma unidade coletiva para os colaboradores da empresa. Além disso, a missão tem também um papel muito importante no dia a dia da organização – ela vai estar presente nas apresentações sobre o negócio, deverá ser explicitada em palestras, reuniões com prospects e clientes, em encontros com novos colaboradores, entre outros. 

Sendo assim, ela é o resumo da empresa, e descreve também os padrões de comportamento esperados. Inclusive, neste ponto, os próprios colaboradores serão capazes de julgar seus comportamentos e tomar decisões a partir dela. Em uma situação complicada de tomada de decisão estratégica com um cliente, por exemplo, podemos nos perguntar sobre qual das opções, naquele contexto, mais atende o que estabelecemos como objetivo em nossa missão e escolher por ela.

A este ponto, podemos dizer que a missão tem uma relação direta com a cultura organizacional (que, certamente, será influenciada por diversos outros aspectos) porque é ponto de partida para a coesão da organização. Além disso, serve de farol para a estratégia e valores da empresa. E, aqui, temos outra questão importante: a missão se relaciona diretamente com os demais norteadores estratégicos, que também são base para o estabelecimento desta cultura. 

Por outro lado, é verdade que uma cultura organizacional pode ser construída e difundida sem a declaração de uma missão – uma não é imprescindível para a existência da outra. Contudo, com um olhar atento para gestão e para nosso propósito como empresa, defendemos sua relação e encadeamento são essenciais.

Exemplos de missão de empresas famosas

Compartilhamos alguns exemplos de missão abaixo:

  • Ambev: “Criar vínculos fortes e duradouros com os consumidores e clientes, fornecendo-lhes as melhores marcas, produtos e serviços.”
    • O quê: criar vínculos fortes e duradouros;
    • Como: fornecendo-lhes as melhores marcas, produtos e serviços;
    • Para quem: consumidores e clientes.
  • Movile: “Fazer a vida de 1 bilhão de pessoas melhor por meio dos nossos aplicativos.”
    • O quê: fazer a vida melhor;
    • Como: por meio de nossos aplicativos;
    • Para quem: a vida de 1 bilhão de pessoas.

Estes dois simples exemplos são capazes de tangibilizar os principais pontos que discutimos até então. Nesse sentido, perceba como temos duas frases claras e motivadoras e que trazem as potencialidades das empresas analisadas. Além do mais, fornecem subsídios suficientes para transparecer e guiar suas culturas, elucidam seus objetivos e direcionam a tomada de decisão da organização.

Por fim, como não poderia deixar de faltar, compartilhamos também a missão da 4CINCO: “Potencializar o mercado empresarial por meio de conhecimento e processo de gestão”. Repare que os principais elementos de nossa missão são: 

(1) Potencializar – o quê; 

(2) Mercado Empresarial – para quem; 

(3) Conhecimento e Processo – como. 

E todos os dias, em cada tomada de decisão, em cada oportunidade de relacionamento com clientes ou com colegas de trabalho, buscamos justamente fazer isso. E, mais: buscamos fazer cada vez melhor.

Quer continuar se inspirando com ótimos cases do mercado? Então confira a nossa entrevista exclusiva com o pessoal do Valen e do Brasco!

Leave a Reply