Blog

Gestão é a nossa causa.

GESTÃO DE ESTOQUE: POR QUE FAZER?

A gestão de estoque se mostra como um dos mais desafiadores dos processos gerenciais importantes para o resultado das empresas. Isso ocorre, em especial, no âmbito de pequenas e médias empresas.

O estoque é um dos aspectos mais estratégicos para determinados setores. O capital de giro, por exemplo, pode se comprometer pelo valor disponível em recursos armazenados.

Sendo assim, uma falha nessa gestão reflete em outras áreas, como a financeira e a comercial. Isso afeta, por consequência, o resultado do empreendimento.

CONTROLE DE ESTOQUE x GESTÃO DE ESTOQUE

É muito comum uma empresa confundir a gestão de estoque com o controle do mesmo. Nesse sentido, há muitas empresas que controlam com excelência seu inventário. Entretanto, outras não utilizam dessa informação para tomada de decisão.

O controle ocorre quando há a informação. Após essa verificação, caso a empresa tenha o registro de entradas e de saídas de materiais, endereçamento e nível de seu inventário, já está fazendo um ótimo controle de estoque. Todavia, o que poucos enxergam é que se a informação não leva a uma tomada de decisão, de nada serve.

Dessa forma, a gestão de estoque ocorre no momento que o controle leva a empresa a obter resultados melhores. Um bom gerenciamento garante o equilíbrio de oferta e demanda dos produtos, o que reflete em uma maior satisfação do cliente e impede rombos nas finanças da instituição.

4 PASSOS FUNDAMENTAIS PARA GESTÃO DE ESTOQUE

A gestão de estoque possui alguns passos fundamentais que auxiliam no seu processamento. Confira abaixo!

Priorização de produtos

Uma grande dificuldade de gerir o estoque é ter diversos produtos com características bem diferentes. Portanto, é muito comum a prática de definir as mercadorias que terão sua análise de forma mais minuciosa.

Para isso, existem diferentes métodos. O mais recorrente é o ABC. Ele segue a lei de Pareto, e identifica os produtos mais importantes armazenados. Essa priorização pode ser feita pelo faturamento, lucratividade ou até mesmo pelo giro do estoque. Em outras palavras, aqui é preciso destacar aqueles produtos que mais saíram em um período de tempo.

Previsão de Demanda

Para uma melhor gestão de compras, é necessário definir os estoques máximos e mínimos. Isso pode ser feito a partir de uma boa previsão de demanda.

Nesse sentido, muitos produtos apresentam sazonalidades bem características. Isso pode passar por observação e análise com a manutenção de um bom banco de dados de demanda dos últimos anos.

Portanto, quanto maior a informação, ou seja, quanto maior o número de observações, mais rico será o resultado da previsão. Assim, por consequência, mais fácil será a tomada de decisão do que comprar de seus fornecedores.

Indicadores

Como saber se as estratégias baseadas na gestão de estoque estão tendo resultados satisfatórios? O acompanhamento de indicadores é o que dará a resposta para o empreendedor.

Nesse sentido, há alguns indicadores clássicos que podem ser usados:

  • CMV (Custo da Mercadoria Vendida): Importante para monitorar se as compras da empresa estão sendo feitas de forma inteligente. A tendência, com uma boa gestão de estoque, é que esse custo diminua.
  • Ruptura: Monitora se a empresa está conseguindo responder à demanda. Deve ser controlado, pois com o aumento da ruptura, ou seja, não atender à expectativa do cliente, a chance de perder o consumidor para a concorrência aumenta.
  • Giro de Estoque: É relevante entender não só as mercadorias que estão girando mais, como também aquelas que tem uma saída muito baixa. Assim, é possível criar uma estratégia para dar vazão a esses produtos diminuindo o dinheiro parado.
  • Valor parado em estoque: “Estoque é dinheiro”. Essa máxima parte da premissa que o estoque sugere uma quantia relevante que poderia ter seu investimento rendendo de outra forma. Então, uma gestão bem feita tem que dar conta de controlar o valor que os produtos parados representam, buscando sempre a redução desse número.

Sistema

Toda gestão de estoque parte de um bom controle de estoque, como supracitado. Tendo isso em vista, é preciso se munir de alguma ferramenta que torne esse controle o menos operacional possível.

No cenário de pequenas e médias empresas, um bom Excel muitas vezes é mais que suficiente. Entretanto, no mundo de empresas grandes, a complexidade aumenta muito e a utilização de algum software específico pode se tornar necessária. Assim, é possível entender com maior exatidão as informações que facilitam a decisão da estratégia a ser executada.

RESULTADO DA GESTÃO DE ESTOQUE

A aplicação da gestão de estoque pode ter resultados diversos e reverberar em áreas diferentes da empresa. Por exemplo, o excesso de estoque pode levar a problemas de fluxo de caixa e a ruptura pode levar à baixa satisfação do cliente. Além disso, é requisito básico para uma boa gestão de compras, e consequente gestão de fornecedores.

Em suma, se estoque é dinheiro, merece uma boa gestão.

Se interessa pela temática de gestão?
Então se aprofunde no assunto com o nosso artigo
sobre a importância do controle de gestão!

Leave a Reply