Blog

Gestão é a nossa causa.

Capital de giro: essencial para a saúde financeira

O capital de giro surge em um cenário de perceber que a saúde financeira de um negócio é um fator fundamental para a sustentabilidade e crescimento da empresa. Nesse sentido, quando as finanças não estão alinhadas, uma série de problemas aparecem.

Exemplos disso são déficit nas contas, falta de capital para investimentos e a necessidade de empréstimos bancários. E é aqui que essa reserva pode ser útil, como você vai ver ao longo deste artigo.

O que é capital de giro?

O capital de giro é o valor que a empresa dispõe para custear e manter suas despesas operacionais de rotina. Nesse sentido, tal número é o resultado da diferença entre o dinheiro que se tem disponível e o dinheiro que se deve.

Portanto, ele se diferencia do capital fixo ou permanente, que é o investimento voltado à compra de imóveis, instalações, máquinas, matérias primas e equipamentos (itens do ativo imobilizado). Em outras palavras, são os itens necessários para o início da operação “física” de funcionamento da empresa.

Qual é o objetivo do capital de giro?

Para entender o objetivo do capital de giro vamos utilizar como exemplo um cliente que deseja parcelar uma compra em 10x. Ao longo desses meses, o valor das parcelas será pago, porém é necessário possuir recursos para o financiamento destas compras.

Dessa forma, o parcelamento das vendas é um dos diversos casos em que a empresa necessita do capital para manter suas operações. Outros possíveis casos em que ele é necessário:

  • Ter recursos de financiamento aos clientes (nas vendas à prazo), conforme exemplo citado;
  • Auxilia a manter um estoque saudável na empresa;
  • Assegura o pagamento aos fornecedores (compras de matéria-prima ou mercadorias de revenda), bem como o pagamento de impostos, salários e demais custos e despesas operacionais;
  • Nos casos em que há sazonalidade, o capital de giro ajuda a manter o equilíbrio financeiro nos meses de menos vendas.

Quais os tipos de capital de giro?

O capital de giro pode assumir diferentes formas. Por exemplo, pode assumir a forma de dinheiro e, em seguida, mudar para estoques e/ou contas a receber e de volta para o caixa. Saiba mais abaixo:

  • Capital de Giro Bruto e Líquido

O total de ativos circulantes é conhecido como capital de giro bruto, enquanto a diferença entre o ativo circulante e o passivo circulante é conhecida como capital de giro líquido.

  • Capital de Giro Permanente

Este tipo é a quantidade mínima de capital de giro que deve permanecer sempre investido. Em todos os casos, alguma quantia em dinheiro, ações e ou contas a receber sempre é bloqueada. 

Além disso, esses ativos são necessários para a empresa realizar seus negócios diários. Tais fundos são retirados de fontes de longo prazo e são necessários para a execução e existência do negócio.

  • Capital de Giro Variável

Os requisitos de reserva de dinheiro de uma empresa de negócios podem aumentar ou diminuir de tempos em tempos devido a vários fatores. Nesse sentido, os fundos variáveis ​​são extraídos de fontes de curto prazo e são chamados de capital de giro variável.

Leia também: Balanço Patrimonial: entenda o que é e qual a sua estrutura  

Como calcular o capital de giro de uma empresa?

O cálculo do capital de giro de uma empresa é, na verdade um cálculo da sua necessidade. Para isso, aplica-se a seguinte fórmula:

NCG = CP – (CR + VE)

Nessa fórmula, a necessidade do capital é igual a contas a pagar menos contas a receber, somada aos valores em estoque. Confira o significado de cada sigla abaixo:

  • NCG: necessidade de capital de giro
  • CP: contas a pagar
  • CR: contas a receber
  • VE: valor em estoque

Exemplo de cálculo de capital de giro

Vamos imaginar o seguinte cenário de que uma loja que vende bicicletas:

Neste caso, então, a necessidade de capital é positiva. Ou seja, para cumprir com suas obrigações atuais, a loja precisa receber mais R$ 2.500.

Todavia, caso o valor fosse negativo, o giro de caixa próprio seria suficiente para cobrir as operações da empresa.

E lembre-se: o cálculo diz respeito ao capital necessário para a manutenção das operações.

5 dicas para fazer capital de giro

Conforme falamos anteriormente, o capital de giro é muito importante para a sustentabilidade do negócio. Selecionamos algumas dicas para você fazer o seu – confira abaixo!

#1 Reduza os estoques parados

Se você estiver precisando de capital de giro imediato, uma possibilidade é fazer, por exemplo, uma queima de estoque, com promoções de seus produtos.

Mas, atenção: se manter um estoque muito grande pode colocar sua empresa sob maior pressão para vender, reduzir o estoque demais pode fazer com que você perca vendas. Afinal, alguns produtos começarão a faltar.

Além disso, ao fazer promoções, a margem de lucro diminui. Por isso, é importante monitorar o mercado, as demandas dos clientes e o estoque atual.

#2 Redução de custos

Realizar uma revisão da sua estrutura de despesas e também dos custos da operação, entendendo a margem de cada produto para uma melhor precificação deles, é uma medida indicada. Por isso, confira como fazer uma revisão completa com o nosso artigo sobre análise de custos.

#3 Diversificar canais de venda

Com tantas tecnologias disponíveis, você pode acrescentar uma plataforma de venda para alcançar novos clientes. Sendo assim, uma loja física pode iniciar um projeto de loja virtual, bem como uma loja virtual pode investir em marketplaces, como o Mercado Livre.

#4 Negociar prazos com fornecedores

As condições de pagamento de seus fornecedores são uma das maiores causas de capital de giro deficiente entre os negócios de comércio eletrônico, e também no físico. Por isso, se você deseja ter um número que seja mais saudável, negocie com seus fornecedores antes de estabelecerem um “contrato”.

Dessa forma, muitas vezes para convencer um cliente a comprar você vai precisar oferecer condições de pagamento especiais. Nesses casos, também ter uma boa opção de pagamento com seu fornecedor vai permitir que o fluxo de caixa fique saudável e o capital de giro menos “apertado”.

#5 Considerar um empréstimo

Em muitos momentos, quando estamos em busca de crescimento para nosso negócio ou quando surgem grandes oportunidades, precisamos investir para posteriormente colher os frutos.

Caso deseje abrir mais um canal de venda, seja uma nova loja física ou online, ou se surgiu um grande comprador que precisa de materiais a pronta entrega, será necessário mais estoque. E, em algumas situações, de mais funcionários e mesmo um local maior. Nesse caso é possível avaliar um empréstimo.

Por isso, pesquise os menores juros do mercado e não faça dessa alternativa um hábito. Busque corrigir os procedimentos de compra e venda para conseguir ficar no azul com seu capital de giro, sem precisar recorrer a meios que podem fazer suas dívidas aumentarem mais ainda.

Quer aprender como fazer um bom planejamento estratégico para prever os investimentos necessários e organizar os objetivos da sua empresa? Então confira nosso artigo sobre planejamento estratégico!

Leave a Reply